Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006

Poesia Escolhida III

Estou Cansado

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.
A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...
E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.

                                                 Álvaro de Campos

Sinto-me: Muito Cansado
Pensamento: Desejo não pensar na alma
Autor mariogoncalves às 18:24

Link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Sílvia Fernandes a 16 de Outubro de 2006 às 19:57
Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

F. Pessoa

Comentar post

.Quem sou eu...

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Artigos

. Poesia Escolhida III

. Poesia Escolhida II

. Mostrar o Pau com que se ...

. Auto-estima a 100 à hora

. Ao ex colega desconhecido

. Poesia Escolhida I

. Na Rota da Europa 2

. Na Rota da Europa

. Aprender com os êxitos do...

. Rosa murcha terá de levar...

.Arquivos

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.Tags

. todas as tags

.Favoritos

. História da Caça em Samor...

.Links

.Visitas

PisosBuscadorBajar ManualesAnunciosLibros Ciencia